É muito provável que você já tenha ouvido falar em transformação digital. O tema está cada vez mais presente nas organizações, portanto, é preciso entender mais do assunto, da mudança do ERP e do seu papel como núcleo da estratégia digital.

De forma genérica, a transformação digital se refere ao uso cada vez maior da tecnologia nas empresas e no dia a dia das pessoas. Nesse contexto, há uma forte interação entre o mundo real e o digital. Isso tem impacto no desempenho diário, na forma como os negócios são feitos e na interação com o público de interesse da organização.

É preciso destacar que há uma grande importância do ERP na transformação digital da empresa, por isso esse tipo de sistema de gestão tem passado por mudanças — em especial, no que diz respeito à flexibilidade, mobilidade e inteligência aplicada aos processos.

Reunimos uma série de informações sobre o assunto e algumas dicas acerca da mudança do ERP na transformação digital. Continue a leitura!

ERP e sua importânica na transformação digital

Há muitos anos se usa o ERP para integrar setores e facilitar o trabalho na empresa. Nos dias atuais, no entanto, o sistema de gestão também tem se tornado protagonista da transformação digital, viabilizando a integração de várias tecnologias.

Isso é graças à demanda cada vez maior por eficiência operacional. As empresas querem produzir mais, errar menos e atender com excelência aos clientes. Para tanto, precisam da tecnologia a seu favor, bem como de uma central que facilite o controle.

cta-horizontal-gestaointegrada
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Principais funções e objetivos do ERP

O sistema de gestão apresenta variadas funcionalidades, desde a emissão automática de boletos até o controle preciso do estoque. Muitas, graças às demandas do mercado e da transformação digital, estão se tornando mais adaptáveis.

Resumindo, o objetivo do ERP é garantir maior eficiência diária, integração e controle do que está sendo feito na empresa. Para tanto, tem um amplo escopo funcional e módulos como Contabilidade, Financeiro, Orçamento, Contratos, Compras, Estoque, Vendas, Logística, RH e assim por diante.

Com o processo de transformação digital, o ERP passa a agregar mais um objetivo: ser o centro das operações de todas as áreas da empresa, oferecendo maior integração dos processos, eficiência operacional e visão global do negócio, com mobilidade para gerenciar o negócio de qualquer lugar. 

O ERP como centro das operações

Imagine as maiores tendências de tecnologia para os negócios. Computação em nuvem, inteligência artificial (AI), Big Data, internet das coisas (IOT) e assim por diante. Todas elas tendem a estar conectadas, gerando dados que serão analisados em algum nível pelo ERP..

Durante a sua operação, uma empresa paga e recebe, contabiliza, compra, entrega, produz e emite notas fiscais. Todas essas tarefas passarão ou chegarão ao ERP, assumindo uma posição de protagonista e centro de controle.

Mesmo com tamanha importância, há uma crescente insatisfação com o modelo tradicional de ERP. Cada vez mais, os usuários querem soluções personalizadas, afinal, cada empresa opera de modo singular e em mercados distintos.

Para atender a essas novas demandas, o ERP está sendo moldado. Hoje, o sistema de gestão é muito mais adaptável. Alguns módulos são completamente customizados e a ferramenta opera em nuvem, por exemplo.

A adaptação do ERP à transformação digital

No intuito de se adequar aos novos padrões, o ERP tem passado por mudanças significativas. Ao conhecê-las, você poderá entender com clareza como o sistema de gestão está se moldando para a Era Digital e contribuindo para o aumento da eficiência.

É possível destacar a existência de aplicações personalizadas, a capacidade de interação com modernas tecnologias e poder rodar na cloud. Essas ações oferecem maior poder e autonomia para os usuários. Entenda nos próximos tópicos!

Personalização de módulos e funções

Por mais completo que seja o sistema gerencial, nativamente com seus conjuntos funcionais, não consegue atender a todas as demandas da empresa. Quando o ERP é um pacote fechado, as organizações se limitam ao escopo do seu produto.

Por exemplo, o modelo de venda de uma empresa de produtos é genérico, mas quando ela opta por fazer um pedido de venda por projeto, o modelo é diferente e o ERP deve se adaptar.

Isso significa que, cada vez mais, os pacotes de ERP devem ser personalizados, logo, além de funções prontas, a nova geração de ERP deve ter soluções mais específicas para cada negócio.

ERP como plataforma on-line de gestão

A demanda por mobilidade é crescente. Na atualidade, existem equipes que atuam completamente a distância, e o sistema de gestão deve atender a esse tipo de necessidade. Portanto, o ERP em nuvem é outro ponto a ser observado.

Com e-mail e senha, é possível ter acesso ao sistema gerencial de qualquer lugar e em diversos dispositivos (smartphone ou tablet, por exemplo). Isso viabiliza o monitoramento dos resultados e a prestação de contas, bem como uma série de tarefas que só poderiam ser feitas de dentro da empresa.

Integração de novas tecnologias

Como dito, o ERP é o núcleo da estratégia digital da empresa. Cada vez mais, ele conversa com outras tecnologias exponenciais e permite uma atuação mais eficiente, que beneficie tanto a estratégia quanto as operações da organização.

O ERP está embarcando ferramentas de analytics, que são tecnologias ligadas a Big Data capazes de reconhecer comportamentos por redes sociais. Além disso, podem trazer dados tratados e possibilitar decisões mais sistêmicas.

Há, também, a possibilidade de integrar inteligência artificial. Os atuais mecanismos e algoritmos vão adicionar inteligência aos processos, coletando, cruzando e analisando dados para a melhoria do que está sendo feito.

A evolução do ERP Pirâmide

O ERP Pirâmide é um ótimo exemplo de sistema gerencial que está passando por uma evolução com o que há de mais moderno no mercado e adaptado às demandas da transformação digital.

A plataforma oferecerá um pacote com funcionalidades extras, que poderão ser ampliadas e personalizadas de acordo com o crescimento da empresa ou mudança no modelo de negócios. O ERP Pirâmide se tornará muito mais flexível e adaptado a qualquer tipo de cenário, oferecendo ainda mais aderência aos processos das organizações.

Outra vantagem está na mobilidade. A plataforma poderá ser acessada de qualquer lugar e por variados dispositivos, simplificando a vida dos usuários. Além disso, recursos como internet das coisas e cognição baseada em inteligência artificial serão incorporados para promover mais produtividade.

Os dados coletados serão estruturados e disponibilizados em uma interface gráfica intuitiva, facilitando a tomada de decisões, a formulação de estratégias empresariais e a melhoria das operações diárias.

Como é possível observar até aqui, a transformação digital tem promovido diversas mudanças nos sistemas ERPs. Eles estão ganhando uma importância cada vez maior e se tornando a espinha dorsal das operações, capaz de integrar diversas tecnologias, aumentar a eficiência no que é feito e oferecer flexibilidade aos profissionais da empresa.

Entende o papel do ERP na transformação digital? Agora, aproveite para assinar nossa newsletter e receber novidades diretamente em seu e-mail. Vamos lá!