A gestão fiscal sempre foi um dos principais desafios do empreendedor. Além de extensa e complexa, a legislação fiscal e trabalhista brasileira está em constante mudança. Novas leis, normas e regulamentos são instituídos frenquentemente.

Muitas empresas não possuem uma visão abrangente dos seus processos fiscais. Em consequência disso, pagam impostos a mais ou a menos sobre o valor correto.

Tudo isso representa um empecilho para quem deseja conquistar um diferencial competitivo, principalmente em relação à concorrência estrangeira.

Confira as consequências do descumprimento da legislação fiscal:

  • Multas e processos judiciais;
  • Inviabilidade de participar de processos de licitação abertos por órgãos públicos;
  • Impossibilidade de adquirir empréstimos e financiamentos em instituições de crédito oficiais e bancos privados;
  • Impactos negativos para a imagem da empresa diante dos processos judiciais por sonegação de impostos.

cta-horizontal-gestaointegrada
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Diante disso, nós listamos 5 dicas para você saber como lidar com a gestão fiscal da sua empresa. Acompanhe:

1. Faça um planejamento fiscal

Assim como você planejou a abertura da empresa, a infraestrutura, a contratação de pessoal e o marketing, é preciso planejar também a gestão fiscal. Você sabia que a maioria das empresas fecha as portas apenas por falta de organização?

Avalie o presente com base no passado e no futuro da empresa. Leve em consideração os encargos fiscais das atividades de rotina e crie um fundo de reserva. Dispor de um dinheiro extra vai assegurar a solução de eventuais problemas que possam surgir. 

2. Escolha o regime tributário mais favorável

Para fazer uma boa gestão fiscal, é importante escolher o regime tributário em que a sua empresa se encaixa. Procure conhecer quais os tipos de tributos e o que cada um pode trazer de benefício para o seu negócio. Assim, você saberá fazer a melhor opção entre o sistema simples, lucro presumido ou lucro real.

3. Evite ações judiciais movidas por empregados

As leis trabalhistas são motivo de muita dor de cabeça, pois os trabalhadores, quando insatisfeitos, podem processar o empregador. Sendo assim, é importante tomar alguns cuidados. Promova um ambiente de trabalho agradável e valorize o empenho dos seus colaboradores por meio de feedbacks positivos e premiações por resultados alcançados.

4. Fique de olho nos benefícios fiscais

As três esferas de governo (municipal, estadual e federal) oferecem isenções de impostos ou outros benefícios para determinadas atividades. Procure informações para saber se a sua empresa se enquadra em algumas dessas opções e aproveite as vantagens que são um direito seu. 

5. Automatize os processos da gestão fiscal

Estamos vivendo o ápice da era digital. Dessa forma, não faz sentido gerenciar toda essa burocracia sem ajuda de soluções tecnológicas. A automação de sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) permite uma integração dos sistemas administrativos, financeiros e operacionais.

Assim, o monitoramento fiscal se torna mais eficiente, a empresa diminui os custos e consegue se manter competitiva no mercado. Ou seja, automatizar gera benefícios tanto para quem está administrando como para o desenvolvimento da organização.

Como você viu, a gestão fiscal é uma atividade que exige muitas responsabilidades. No entanto, se você fizer um planejamento, escolher o regime tributário ideal, evitar processos trabalhistas e automatizar os processos da empresa os seus resultados serão sempre positivos.

Este artigo foi útil para você? Então, compartilhe-o nas redes sociais para que outras pessoas possam aprender mais sobre esse tema!