Anunciado no início deste mês, o novo posicionamento estratégico da PROCENGE considera a transformação digital das empresas e o impacto da inovação nos negócios como alvo dos seus objetivos. O propósito da companhia, que é uma das pioneiras no segmento de softwares para gestão empresarial no Brasil, está mais ousado e revela sua intenção de revolucionar o modo como as empresas utilizam a tecnologia da informação para transformar seus negócios.
 
“A primeira palavra da nossa missão é revolucionar, ou seja, fazer algo realmente disruptivo. Uma verdadeira revolução em relação ao que já fazemos e ao que o mercado está acostumado a fazer”, pontua José Claudio Oliveira, Diretor Geral da PROCENGE. 
 
Os clientes podem esperar evoluções impactantes no ERP Pirâmide, sistema consolidado com 20 anos no mercado, e que está passando por uma transformação conceitual, que vai muito além da tecnologia e da interface. Os novos recursos serão disponibilizados em blocos funcionais por módulos já a partir de setembro deste ano.  Além de facilitar a dinâmica operacional dos usuários, com um design mais intuitivo, permitirá personalizar as telas, incluindo e excluindo campos, deixando a área de trabalho apenas com o essencial.
cta-horizontal-integraçao
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

O sistema terá características de plataforma personalizável e passará a se chamar Pirâmide 360, ampliando exponencialmente a sua amplitude funcional, com capacidade de atender a especificidades de cada negócio e departamento, extrapolando o escopo de Backoffice, restrito às áreas administrativa, financeira e contábil.
 
O Market Place, loja virtual de aplicações prontas e customizáveis No Code (sem a necessidade de programação) e a incorporação de inteligência artificial, que dará uma dinâmica mais proativa ao sistema, são algumas das novidades que vêm por aí e irão mudar radicalmente a experiência dos usuários com o ERP. 
 
CULTURA – As mudanças na PROCENGE seguem a linha das exigências do mercado, que pede maior flexibilidade e aderência ao negócio de cada empresa. A nova política busca envolver cada vez mais o cliente e considera as necessidades dos usuários em todos os níveis. Para isso, uma nova cultura está sendo disseminada entre seus colaboradores, visando uma maior empatia, agilidade, inovação e criatividade para revolucionar as empresas através da tecnologia nesse mundo digital. 
 


José Claudio explica ainda que as novidades vão além das inovações tecnológicas. A postura comercial e a assistência aos clientes também passam por grandes mudanças. “Estamos adotando uma abordagem consultiva, a qual permitirá capturar as necessidades do cliente para atendê-lo de forma inteiramente personalizada”.