3 dicas para profissionalizar a gestão de cooperativas médicas

7 minutos para ler

Como você sabe, gerenciar um negócio não é uma tarefa fácil. No entanto, é importante lembrar que o sucesso de toda empresa depende de muito planejamento e de um bom gerenciamento.

Apesar das particularidades, a gestão de cooperativas médicas não é diferente. É preciso controlar os gastos, planejar o orçamento, manter o controle do fluxo de caixa, atender às exigências legais e regulamentares etc.

Nesse cenário, muitas são as obrigações e responsabilidades dos gestores. Para evitar falhas e garantir a saúde do empreendimento, é fundamental investir na profissionalização da gestão. Afinal, eventuais erros podem custar caro à cooperativa e, em alguns casos, até mesmo levá-la a fechar as portas.

Você sabe como profissionalizar a gestão e quais os benefícios que isso pode trazer? Continue a leitura e descubra tudo que você precisa saber sobre o tema!

Quais os benefícios da profissionalização da gestão de cooperativas médicas?

As empresas que trabalham com serviços de saúde têm muitas obrigações, principalmente as que oferecem planos de assistência, uma vez que existem inúmeras exigências legais e regulamentares.

Nesse cenário, a profissionalização da gestão é essencial. Afinal, é preciso ter controle dos gastos, planejar o orçamento e dar fiel cumprimento às exigências da Agência Nacional de Saúde (ANS).

Uma gestão profissionalizada reduz o risco de falhas nos processos, garante a saúde financeira da empresa e evita transtornos decorrentes do descumprimento das normas legais, principalmente das sanções da agência reguladora.

Além disso, vale lembrar que eventuais erros podem afetar muito a credibilidade do empreendimento no mercado. Assim, a profissionalização da gestão também auxilia na consolidação e preservação da credibilidade da cooperativa médica e na conquista e manutenção de parcerias e pacientes.

Como profissionalizar a gestão de cooperativas médicas?

Agora que você já sabe quais são os benefícios que a profissionalização da gestão pode trazer para as empresas que prestam assistência à saúde, confira 3 dicas de como realizá-la!

1. Invista no cumprimento das exigências da ANS

A Agência Nacional de Saúde é responsável por regular as atividades desenvolvidas pelas cooperativas que prestam assistência à saúde no Brasil. Ela estabelece os procedimentos que devem ser observados e quais são as obrigações das empresas – inclusive quais as informações que devem ser prestadas – por exemplo, aquelas que devem constar no Documento de Informações Periódicas das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde (DIOPS).

Estar em dia com as exigências normativas é essencial para evitar sancionamentos, tais como multas e até mesmo a suspensão ou fechamento da empresa. Por isso, é extremamente importante conhecer quais são as obrigações legais e regulamentares.

Mas não é só isso! Os gestores devem atentar para que as obrigações sejam cumpridas de maneira satisfatória e dentro do prazo estabelecido pela agência reguladora.

Afinal, anualmente, a ANS avalia as empresas prestadoras de serviços de saúde e as classifica de acordo com o IDSS (Índice de Desempenho da Saúde Suplementar). Além de evitar sanções, o cumprimento das normas também traz benefícios do ponto de vista comercial, visto que uma classificação satisfatória garante a boa imagem do negócio perante seus clientes e no mercado como um todo.

Vale lembrar que o IDSS é calculado com base em vários indicadores, tais como cumprimento das obrigações financeiras, qualidade de atendimento aos clientes, oferta de rede credenciada e assistência aos usuários. É claro que controlar todos esses fatores é muito difícil. No entanto, é possível recorrer ao auxílio da tecnologia para acompanhar os indicadores e avaliar quais medidas podem ser tomadas para melhorá-los.

Powered by Rock Convert

2. Profissionalize a gestão financeira

Um dos pontos centrais de todo empreendimento é a gestão financeira. Para alcançar o sucesso, a gestão de cooperativas médicas deve incluir no seu trabalho cotidiano o controle de todas as atividades relacionadas às finanças e isso vai muito além de anotar os gastos e os lucros. Um gerenciamento eficaz engloba aspectos relacionados ao planejamento e ao acompanhamento de todos os números e ações que interfiram no patrimônio.

Em termos gerais, o objetivo dessa gestão é descobrir possíveis erros e promover melhorias no desempenho da empresa. Ou seja, elevar o faturamento e aumentar a competitividade do empreendimento.

Como a gestão financeira é uma atividade complexa, é indispensável recorrer às ferramentas adequadas. Nos setores ligados à saúde, além da análise de resultados, planejamento, negociação adequada, trabalho em equipe e controle de caixa, é importante atentar para alguns indicadores.

É preciso saber, por exemplo, se o investimento realizado por um paciente supera os gastos advindos de um período de internação ou do uso dos serviços ofertados pela empresa – atualmente, existem softwares de gestão que realizam a medição desse e de outros indicadores.

Além disso, uma boa gestão deve considerar outras variáveis que impactam nos recursos e na saúde financeira da empresa. Pequenos investimentos podem gerar resultados e economias surpreendentes. Em longo prazo, incentivar a medicina preventiva e promover ações que visem à qualidade de vida – sobretudo, na terceira idade – é capaz de reduzir os custos com internações e outros procedimentos que atingem o orçamento das operadoras.

3. Invista em tecnologia

A tecnologia é uma ferramenta importante de profissionalização da gestão de cooperativas médicas. Afinal, acompanhar todos os dados de uma empresa por meio de planilhas é humanamente impossível.

Softwares, como o ERP Pirâmide (Enterprise Resource Planning), são capazes de fornecer aos gestores todas as informações relevantes acerca do negócio de forma integrada, tais como administrativas, contábeis, fiscais etc. Isso possibilita uma visão ampla do cenário da empresa e, consequentemente, a tomada de decisões mais precisas.

Ao integrar as informações, o sistema ajuda na profissionalização da gestão orçamentária. Com ele, é possível fazer um controle mais efetivo dos recursos e dos gastos – por exemplo, antes de realizar uma compra, dá para averiguar a disponibilidade dos recursos.

Mas não é só isso! Essa ferramenta também ajuda no cumprimento das obrigações regulamentares da ANS, uma vez que as informações são geradas de forma mais rápida e segura – o sistema conta também com recursos para emissão do DIOPS.

Outra ferramenta disponível no ERP Pirâmide é o dashboard. Nele, são exibidas inúmeras informações gerenciais em gráficos e indicadores relacionadas à área financeira, estoque e compras, contábil etc., com a opção de criar outros indicadores personalizados, de acordo com a necessidade da sua empresa.

As informações contidas no sistema podem ser acessadas por meio de dispositivos móveis, através de uma interface responsiva, a qualquer tempo e em qualquer lugar, o que facilita a análise dos dados pela gestão.

Como você viu, o sucesso de uma empresa está intrinsecamente ligado ao seu gerenciamento. Por isso, a profissionalização da gestão nas cooperativas médicas é essencial para dar sustentabilidade do negócio – ela ajuda a manter o orçamento em dia, acompanhar os indicadores medidos no IDSS e garantir o cumprimento de todas as exigências legais e regulamentares, evitando sancionamentos e garantindo o sucesso do negócio.

Quer profissionalizar a gestão de sua cooperativa? Entre em contato conosco! Será um prazer ajudá-lo!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Share This