Para muitos gestores, a tomada de decisões empresariais é um momento angustiante pelo simples fato de ela exigir a saída da zona de conforto ao assumir responsabilidades e, o que é mais grave, encarar consequências. O que você, gestor, pode fazer para que o processo decisório seja mais ágil?

Primeiramente esse método deve ser composto da junção de dados da organização e de competências do próprio decisor. Ou seja, um gestor experiente precisa obter informações sólidas e realistas para a tomada de decisão.

Confira, neste artigo, 7 dicas para acelerar esse processo e garantir mais eficiência no seu negócio. Boa leitura!

1. Revise seus métodos

Se você é daqueles que gosta de acumular grandes volumes de dados para tomar alguma decisão, está na hora de mudar sua maneira de pensar e agir, uma vez que o mercado está cada vez mais ágil e atualizando constantemente. E, por conta disso, você não terá sempre as melhores informações e mesmo assim terá que tomar decisões.

Existe uma técnica chamada “Fórmula 7-3” focada em decisões de curto prazo, que explica que vale mais tomar uma decisão e acertar sete em cada dez vezes do que ficar pensando na solução ideal. Esse é somente um exemplo do que pode auxiliar você nessa modificação de pensamento.

Não se esqueça de confiar na sua intuição para definir o melhor caminho a ser seguido, afinal, você tem conhecimento, bagagem e experiência. Considere tudo isso e tenha convicção de que você acertará na maioria das vezes.

Vale ressaltar que as decisões de curto prazo podem não funcionar logo de cara, em contrapartida, as decisões de longo prazo devem funcionar com perfeição, pois, geralmente, envolvem muitas coisas, como o bem-estar dos colaboradores, as finanças e a reputação da empresa.

2. Troque experiências com outros CEOs

Você não está sozinho nesse dilema. É muito provável que outros diretores ou gerentes da mesma organização já vivenciaram o que você está passando e já tiveram que tomar uma enorme gama de decisões em suas vidas profissionais.

Portanto, uma ótima saída é compartilhar seus conhecimentos e trocar experiências relacionadas a tomadas de decisão. Pode ser que seu amigo de trabalho não fale exatamente o que você deve fazer, mais vai compartilhar alguma informação ou alguma experiência que servirá como um gatilho para despertar uma ideia em você.

3. Converse com sua equipe sobre sua decisão

Cada indivíduo tem uma percepção única sobre um mesmo assunto, você já reparou nisso? Isso ocorre porque nosso cérebro não consegue absorver toda a amplitude de visão dos nossos olhos. O mesmo ocorre no ambiente empresarial.

Muitos gestores focam-se no próprio trabalho e acabam tomando decisões baseadas somente naquilo que sabem. Portanto, a melhor saída é saber escutar os líderes que convivem diretamente com os processos para obter feedbacks válidos a fim de auxiliá-lo nisso.

4. Utilize a Lei de Parkinson (Economia de tempo)

Em uma publicação do The Economist em 1955, o historiador Cyril Northcote Parkinson disse: “O homem mais atarefado é o que tem mais tempo livre”. Isso é, as pessoas definem suas próprias tarefas, o que altera não é o tempo disponível, mas a eficácia durante o tempo de execução.

A Lei de Parkinson funciona assim: se você tem três horas para cumprir uma tarefa que tomaria somente uma hora, você encontrará uma forma de ocupar essas três horas. Porém, quando os últimos minutos chegam, você provavelmente sentirá a pressão para concluir as coisas.

Para colocá-la em prática, tente esses truques mentais:

  • crie um falso sentido de urgência dessa forma você cria uma vontade de conclusão para evitar as distrações. Exija que você saia de sua zona de conforto durante as jornadas de trabalho e, quando você atingir os resultados, se recompense da mesma forma;

  • organize sua rotina de forma criativa use da criatividade para estimular o surgimento de ideias que possam servir de atalho para suas decisões. Defina uma rotina dinâmica e desafiadora para garantir o sucesso diário;

  • estipule prazos definitivos para todas as tarefas não deixe que as atividades se arrastem pelo seu dia. Defina períodos para concluir tarefas específicas e, se faltar inspiração, mude para outro item da lista em vez de perder o foco com qualquer outra coisa;

  • acompanhe seu dia de trabalho controle seu dia de trabalho para autoconhecimento a fim de reduzir o tempo para tomar decisões;

  • crie fortes incentivos para concluir as tarefas antecipadamente — pense sempre no tempo livre a que você terá direito ao cumprir suas tarefas diárias. Escolha alguma coisa que você gosta de fazer para relaxar e recarregar as baterias.

Ao usar a restrição de tempo como sua aliada, você garantirá mais agilidade e eficiência em suas decisões, o que pode aumentar consideravelmente a performance da empresa.

5. Aposte no potencial da tecnologia

Outro fator indispensável para elevar a qualidade na tomada de decisão é a utilização da tecnologia. Hoje, até as microempresas já contam programas e sistemas de gestão, que são usados a fim de integrar informações, melhorar a comunicação interna, fazer uma gestão financeira mais apropriada, entre muitas outras funções. Um software que faz tudo isso é o ERP que disponibiliza, em uma única tela, a verificação de todos os dados de forma simples e intuitiva.

Com a automação, você consegue tomar decisões muito mais ágeis, pois os registros são coletados e armazenados em tempo real e podem ser acessados de qualquer lugar. Com isso, você passará menos tempo cumprindo tarefas ou procedimentos burocráticos e focará mais no planejamento, que é sua função principal.

6. Defina os indicadores apropriados

Para monitorar o desempenho da empresa é fundamental escolher bons indicadores. É dessa forma que você passa a analisar o progresso do negócio, avaliar se é preciso mudar de rumo ou se tudo está realmente sendo cumprido.

Os indicadores variam muito e dependem de vários aspectos empresariais, como o porte e o segmento de mercado do empreendimento. Os principais índices, no entanto, estão relacionados aos processos internos, à produtividade da equipe de vendas e às finanças. A boa notícia é que esses números podem ser calculados facilmente no sistema ERP, graças à sua versatilidade em gerenciar informações.

7. Tenha sempre um plano B

Nenhuma decisão é isenta de imprevistos. Porém, muitos desse “imprevistos” podem ser medidos a partir de uma análise profunda do contexto. Além disso, na prática, um processo pode tomar caminhos diferentes do planejado.

Sendo assim, procure criar cenários de possíveis imprevistos e problemas que poderão acontecer, levando em conta as experiências já adquiridas e os padrões de acontecimentos da rotina da corporação. Ao analisar essas probabilidades, crie um plano B que permita encaixar sua tomada de decisão.

Esperamos que o post de hoje tenha ajudado a compreender como acelerar a tomada de decisão empresarial. Se as dicas expostas acima forem implantadas na sua gestão, você certamente terá sucesso na obtenção de resultados que também servirão para consolidar sua carreira profissional.

Nesse artigo você constatou que a tecnologia é uma importante aliada dos processos decisórios, portanto, não perca tempo e baixe nosso e-book sobre “Integração e Automação de Processos”.