Muitas vezes, o que a empresa precisa para crescer ainda mais é apenas de uma injeção de capital externo — mesmo que já conte com um bom modelo de negócios, gestão e operações bem estruturadas e bons lucros. Entretanto, não é algo tão simples de se conseguir, pois, assim como o mercado, há competição entre as organizações em busca de agentes de aceleração de crescimento e expansão.

Por isso, estar com o negócio preparado é fundamental para gerar oportunidades de captar investimentos externos e aproveitá-las. Para isso, um dos aspectos fundamentais da organização é a sua administração financeira, porque os injetores de capital apenas se aproximam quando as finanças revelam potencial, especialmente de gestão e geração de retorno.

Continue a leitura e veja como a administração das finanças é importante nessa captação e o que se pode fazer na área para incentivar a entrada de investidores.

Demonstrar boa gestão do capital de giro

Dificilmente um investidor aplica seus recursos em um negócio que, em vez de expansão e geração de mais renda e resultados líquidos, tem como objetivo primário a sobrevivência — e o mínimo para que uma empresa siga operando é ter capital de giro.

Portanto, a administração financeira da empresa deve deixar muito claro que ela tem condições de seguir no mercado, ser competitiva e, aos poucos, expandir. Dessa forma, fica ainda mais claro que o negócio é saudável e a injeção de capital tem como objetivo o crescimento acelerado.

Ter um orçamento de capital aplicado adequado

O orçamento de capital é a documentação do planejamento e do gerenciamento de um investimento, seja de recursos próprios ou externos. Nesse caso, o que se busca é um investidor de fora do negócio, então o orçamento pode conter o capital que a empresa está procurando e também o montante próprio disponível para aplicar.

Além disso, o documento precisa apresentar a estruturação da aplicação pretendida — com, as porcentagens destinadas a ações de marketing, pesquisa e desenvolvimento e melhoria dos ativos de utilização operacional, por exemplo. O orçamento também pode prever o retorno sobre o investimento de acordo com as projeções de faturamento, lucro e fluxo de caixa.

Praticar disclosure e incluir os indicadores financeiros

Aqui, os esforços da administração financeira precisam ter o apoio do departamento contábil, pois o disclosure na contabilidade trata de divulgar publicamente as informações contábeis e financeiras da empresa.

Entre os objetivos dessa prática estão estabelecer uma atuação com transparência corporativa e disponibilizar os dados a agentes internos e externos interessados na organização. Então, quando um possível investidor se depara com disclosure, sabe que o empreendimento é adepto da governança corporativa — conceito de gestão intimamente ligado à eficiência — e da transparência que faz parte dela.

Além disso, tendo em mãos os dados contábeis da empresa, consegue avaliá-la com confiabilidade. E mais: se os indicadores financeiros estiverem inclusos na divulgação, em suas notas explicativas, esse agente externo pode atestar quesitos importantes das finanças da organização como lucratividade, rentabilidade, margem operacional e até mesmo Break Even — KPIs que refletem o sucesso de um negócio.

Você conhece outras pessoas em seu meio que buscam recursos para crescer? Compartilhe este post em suas redes sociais e mostre o que fazer na administração financeira para conseguir um investimento externo.