Conhecer e implementar adequadamente os processos da gestão de pessoas é uma atividade-chave para o sucesso da companhia. Quando isso é feito, é possível construir equipes mais competentes, alinhadas e motivadas na busca pelos resultados.

Os seis processos estão ligados à atividade de agregar, integrar, recompensar, desenvolver, manter e monitorar os resultados das pessoas. Esse conceito foi desenvolvido por um dos maiores professores e consultores brasileiros, Idalberto Chiavenato.

Pensando nisso, criamos um post especialmente para você. Hoje, falaremos sobre os seis principais processos da gestão de pessoas e sobre como eles podem ser otimizados em sua empresa. Continue lendo e fique por dentro do assunto!

1. Agregar pessoas

Agregar é fazer com que novos profissionais façam parte da empresa, contribuindo com suas competências, para que as tarefas diárias sejam executadas com maestria. Para isso, é preciso ter um processo de recrutamento e seleção bem estruturado.

Mas, antes de falar sobre o processo, é preciso saber que contratar pessoas é uma tarefa complexa, especialmente no Brasil. A nação verde-amarela está entre os cinco priores países do mundo para encontrar mão de obra qualificada, segundo o ManpowerGroup.

Um bom processo de recrutamento e seleção deve começar com a construção de uma marca empregadora, capaz de atrair profissionais acima da média. Quando isso é feito, todo o restante do processo é potencializado!

A seleção, por sua vez, deve funcionar como um funil. No topo, entram diversos candidatos, mas, na ponta, só saem aqueles que possuem as competências necessárias (conhecimentos, habilidades e atitudes) e aderência à cultura organizacional.

Para estabelecer um bom processo de seleção, é preciso investir em diversas táticas, tais como: entrevistas presenciais, dinâmicas em grupo, provas e testes psicológicos.

2. Aplicar pessoas

Após contratar um novo profissional, é crucial integrá-lo à cultura da empresa e sua nova equipe de trabalho. Isso é feito para que o contratado consiga desempenhar suas atividades no menor tempo possível, com conforto, segurança e qualidade.

Contudo, para isso, é preciso criar um bom processo de integração, que vai desde a apresentação do código de conduta da companhia até visitas aos setores mais importantes. Veja alguns pontos que podem fazer parte desse processo:

  • apresentação da história da empresa;

  • apresentação da missão, visão e valores;

  • entrega do código de conduta;

  • explicação sobre os principais benefícios e remuneração;

  • visita às instalações e departamentos;

  • apresentação da nova equipe de trabalho.

Imagine um time de futebol. Nele, todos conhecem suas funções e entendem que dependem uns dos outros para alcançar o resultado desejado: o gol. Quando se integra um funcionário, ele se sente parte do time, entende seu papel e começa a entregar resultados.

3. Recompensar pessoas

Atualmente, não basta estabelecer metas desafiadoras e cobrar resultados contínuos — é preciso que os trabalhadores sejam reconhecidos e recompensados por suas conquistas. Isso cria um forte senso de meritocracia, o fazer por merecer.

Quando um profissional sente que está sendo recompensando de acordo com os seus resultados, passa a empenhar-se mais na realização de cada tarefa, aumentando sua produtividade e seu comprometimento com os resultados.

Para criar boas recompensas, além de oferecer um salário justo e bons benefícios, é preciso levar algumas coisas em consideração. Veja as principais:

  • recompense de acordo com a complexidade de cada tarefa;

  • equilibre recompensas financeiras e não-financeiras;

  • defina estímulos que sejam realmente desejados pelos funcionários;

  • recompense de acordo com a saúde financeira da empresa.

4. Desenvolver pessoas

O quarto processo da gestão de pessoas refere-se a necessidade de manter todos os colaboradores treinados. Quando isso é feito, é possível alcançar resultados cada vez maiores e bater continuamente as metas estabelecidas pela organização.

Um bom treinamento deve ser iniciado com uma avaliação de desempenho dos funcionários, buscando identificar quais conhecimentos, habilidades e atitudes devem ser aprimorados. Isso, comumente, é feito por meio de uma avaliação em 360 graus.

Com os resultados obtidos, é possível escolher o treinamento certo e a forma como ele será aplicado. É importante destacar que, hoje, existem diversos modais de capacitação: plataformas online, workshops, treinamentos internos, etc.

A escolha da melhor forma de capacitação pode variar bastante de acordo com cada empresa. Por isso, é importante que você leve em consideração as variáveis internas, tais como: flexibilidade de horário, orçamento disponível e perfil dos funcionários.

 

5. Manter pessoas

Quando a evasão de funcionários é elevada, a empresa é prejudicada de diversas formas. Além dos altos custos com processos de rescisão contratual, existe a perda contínua de mão de obra qualificada e o acúmulo de tarefas para os profissionais que ficaram.

Por tudo isso, é indispensável que uma empresa saiba como reter seus colaboradores, mantendo-os felizes e fiéis à marca empregadora. Desse modo, algumas coisas devem ser consideradas. Veja as principais:

  • crie um ambiente de trabalho agradável e produtivo;

  • melhore o diálogo interno;

  • estimule o relacionamento entre líderes e seus liderados;

  • ofereça feedbacks de forma contínua;

  • estabeleça um plano de carreira;

  • invista em benefícios complementares.

As maiores e mais bem-sucedidas empresas do mundo investem cada vez mais na satisfação e retenção dos seus colaboradores. Na sede do Walmart Brasil, por exemplo, é possível ver salas de reuniões temáticas, livraria e até minicampo de golfe.

6. Monitorar os resultados

A última atividade é a de monitorar, ou melhor, acompanhar os resultados que estão sendo atingidos pelo setor de RH e os funcionários. Para isso, o mais indicado é estabelecer alguns indicadores-chave de desempenho.

Esses indicadores, também conhecidos como KPIs (Key Performance Indicator), funcionam como um termômetro interno, indicando o que está sendo realizado com excelência. Veja alguns dos indicadores mais utilizados:

  • taxa de turnover (evasão de funcionários);

  • nível de absenteísmo;

  • nível de satisfação e fidelidade dos colaboradores;

  • retorno sobre investimentos (ROI);

  • nível de satisfação dos clientes finais.

Esses indicadores devem ser acompanhados de forma contínua, e utilizados para tomar decisões estratégicas dentro da empresa, como: treinar, promover ou demitir alguém. Quando isso é feito, é possível tomar decisões de forma mais ágil e assertiva!

Veja, esses são os seis principais processos de RH. É indispensável otimizá-los em sua empresa, garantindo que todos sejam executados com o máximo de eficiência. Desse modo, será possível arquitetar um negócio próspero, sólido e competitivo no mercado.

Agora que está por dentro do assunto e conhece os seis principais processos da gestão de pessoas, aproveite para compartilhar nosso conteúdo em suas redes sociais!