A gestão de qualidade é um assunto obrigatório nas organizações, afinal, os clientes estão cada vez mais exigentes e seletivos. Sem um padrão adequado, nenhuma empresa conseguiria se manter no mercado, vender e competir com as outras.

A gestão de qualidade depende de uma série de soluções, como o investimento em novas tecnologias para controlar e potencializar os processos diários.

No entanto, muitas organizações continuam calculando o custo de investir na estratégia, quando, na verdade, deveriam mensurar o custo de não investir. A falta de padrões elevados pode colocar qualquer negócio no caminho para o insucesso.

Pensando em tudo isso, elaboramos este artigo. Hoje, você vai entender a importância da gestão de qualidade nas empresas. Continue a leitura!

Conceito de gestão de qualidade

Primeiramente, é necessário entender o conceito. Logo, será possível manter a clareza e o alinhamento das ideias ao longo do conteúdo, potencializando o aprendizado.

A gestão de qualidade é uma estratégia de busca contínua por elevados padrões, visando melhorar o desempenho das pessoas, os processos, os produtos e o próprio ambiente de trabalho. Para tanto, usa uma série de filosofias, métodos e tecnologias, que são aplicadas à empresa.

A preocupação com a qualidade ganhou força no Japão, no período pós-guerra. Como as empresas precisavam melhorar sua reputação e ganhar mercado, passaram a investir veementemente no assunto — e daí surgiram muitos métodos de gestão total da qualidade.

Na atualidade, há três principais pilares para a qualidade: a comunicação, a busca pela melhoria contínua e o uso de adequadas tecnologias — o que será visto adiante.

Importância da gestão de qualidade nas empresas

São muitos os benefícios de investir nessa estratégia, os quais permeiam os diversos processos, áreas e equipes da organização. Aqui, vamos citar os quatro principais.

Aumento da satisfação dos clientes finais

A satisfação dos clientes precisa ser uma preocupação primária. No entanto, sem qualidade é quase impossível mantê-los satisfeitos e, muitos menos, encantados com o produto/empresa. Logo, também é improvável estabelecer um relacionamento.

Investir na qualidade é buscar um padrão de excelência e atender da melhor maneira viável as necessidades e os desejos dos clientes. Desse modo, será possível mantê-los felizes e interessados, além de transformá-los em embaixadores da marca.

Redução de custos por falhas

Fazer o cálculo de quanto custa investir na qualidade é fácil, basta ter tudo na “ponta do lápis”. Agora, mensurar o contrário é muito complexo! A falta de qualidade gera uma série de custos tangíveis e intangíveis à organização. Veja alguns:

  • retrabalho;
  • descarte;
  • reclamações dos clientes;
  • recall;
  • danos à marca.

Investir na qualidade é uma forma de mitigar esses problemas, garantindo que sejam cada vez mais escassos dentro da empresa. Assim, a organização em geral poderá progredir, atuar de forma “enxuta” e realizar operações com maior lucratividade.

Crescimento da competitividade no mercado

O mercado está cada vez mais competitivo. Estima-se que, de cada dez empresas abertas, seis fechem antes de cinco anos de atividade. Nesse contexto, organizações que não aderem à filosofia de melhoria contínua tornam-se menos competitivas, quase ineficazes.

No entanto, empresas que se preocupam com a qualidade podem promover uma série de mudanças positivas. Os processos tornam-se mais ágeis, os produtos mais potentes, os funcionários mais entusiasmados e o número de erros/acidentes cai vigorosamente.

Melhoria da imagem no mercado

A imagem que a empresa transmite para o mercado é de suma importância. Ela pode atrair investimentos, chamar a atenção de talentos ou engajar decisões de compra, assim como ter efeito completamente oposto. Então, é preciso cuidar da marca.

Nesse sentido, a qualidade é um dos elementos mais importantes, que pode potencializar a imagem da empresa, tornando-a bem-conceituada e desejada, ou afundá-la em um amontoado de problemas, escândalos e reclamações.

Todos os fatores citados são benefícios centrais, mas é possível citar muitos outros subjacentes, como: o aumento do lucro e a fluidez das atividades diárias. Por tudo isso, a preocupação com a qualidade deve permear cada setor, área e equipe da organização.

Fundamentos para a qualidade e a melhoria contínua

Como observado, existem alguns pilares para atuar com qualidade e movimentar toda a empresa no caminho do desenvolvimento. Eles podem ser divididos em: comunicação, busca pela melhoria e o uso de tecnologias específicas. Entenda cada um!

Comunicação interna empresarial

A qualidade depende do alinhamento interno. Todos precisam entender o que deve ser feito, como e quando. Sem comunicação, no entanto, é impossível obter a sinergia necessária para que isso aconteça. Logo, promover o diálogo é crucial.

Em primeiro lugar, um bom diálogo depende do envolvimento da liderança — todos os lideres, incluindo o CEO, devem se comprometer com o assunto. Em seguida, é preciso implementar canais que facilitem a comunicação, como sistemas de gestão empresarial.

Busca pela melhoria contínua

A busca pela qualidade não se resume a um único momento ou cerimônia. Deve haver uma data para começar, um marco inicial, porém, nunca para terminar. Nesse sentido, a qualidade total deve ser um esforço diário e que envolve toda a equipe.

Aqui, uma ótima ferramenta é o ciclo PDCA. Ela envolve quatro principais etapas: o planejamento da melhoria, a execução, a checagem dos resultados alcançados e a ação corretiva; depois volta-se ao planejamento, no intuito de sempre melhorar.

Uso de tecnologias específicas

Existem diversos sistemas capazes de facilitar a busca pela qualidade nas empresas. Com eles, é possível estruturar os processos diários, integrar os diversos setores da organização e automatizar algumas tarefas. Assim, a qualidade será progressiva.

Um bom exemplo é o sistema de gestão de processo (também chamado de BPM — Business Process Management). Ele permite que cada etapa do processo seja detalhada, gerenciada e otimizada. Logo, é possível ter uma visão geral do que acontece na empresa.

Outra possibilidade é usar plataformas de automação de processos, isto é, substituição do trabalho manual pelo de máquinas. Assim, é possível mitigar os erros existentes.

Como você pôde observar, há uma série de benefícios em investir na gestão de qualidade, tornando as empresas mais prósperas e produtivas. No entanto, ´preciso implementar as ferramentas corretas: como a comunicação e o uso de tecnologias de impacto.

Agora você está por dentro do assunto, certo? Aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar sempre por dentro das novidades. Vamos lá!