Todas as empresas, independentemente do porte, estão sujeitas a cumprir com obrigações tributárias, organizar demonstrações contábeis e emitir notas fiscais. São situações que nenhum empreendedor tem como evitar!

Por isso, para alguns empresários em especial, a gestão fiscal pode representar uma enorme dor de cabeça. Isso acontece porque a carga tributária no Brasil é alta e muitos têm dificuldade de entregar resultados com base no planejamento estratégico da empresa.

Porém, a verdade é que a gestão fiscal pode representar uma excelente aliada para você administrar o seu negócio, controlar os processos e aumentar o faturamento. Continue a leitura e entenda!

O conceito de gestão fiscal

A gestão fiscal diz respeito a tudo o que envolve a gestão dos aspectos tributários de uma determinada empresa. Ela tem a ver com o controle e o acompanhamento das atividades associadas a tributos, de maneira a fazer com que os processos aconteçam em conformidade com a lei ao mesmo tempo em que trazem benefícios para a empresa.

A gestão fiscal adequada envolve diferentes departamentos de uma companhia, pois as questões fiscais dependem das rotinas que cada setor apresenta.

A importância da gestão fiscal para a saúde dos negócios

Sempre que se fala em tributos no Brasil, torna-se inevitável destacar o impacto que a carga tributária costuma trazer para as empresas. Além disso, existe o fato de que a nossa legislação tributária é extremamente complexa, o que dificulta ainda mais o entendimento de empreendedores sem grande experiência.

Tudo isso faz com que a dificuldade com o trabalho com impostos, taxas e afins se torne ainda maior. Existem casos em que uma empresa que tem todas as condições para se enquadrar no Lucro Presumido e, assim, reduzir as suas despesas, acaba optando pelo Lucro Real, e tendo gastos desnecessários por pura falta de informação.

Pagar mais impostos do que aquilo que é necessário é um problema que pode levar até à falência em casos extremos. Sendo assim, falar em gestão fiscal e atuar de modo a evitar prejuízos é fundamental para qualquer empreendimento.

Eficiência na gestão como um todo

Uma gestão eficiente precisa começar com a realização de um planejamento adequado para os interesses da companhia e uma gestão fiscal atenta no dia a dia.

Sem esses dois elementos, os riscos em relação ao Fisco só aumentam e a possibilidade de cada gasto acontecer de maneira equivocada também. Isso sem falar que o empreendimento não terá como crescer de maneira estruturada, considerando períodos de curto, médio e longo prazo, pois isso depende de planos e metas estabelecidos com critério.

Um gerenciamento fiscal eficiente permite o acesso às informações necessárias para definir as metas desejáveis, bem como realizar o planejamento financeiro. O processo ajuda também a otimizar o recolhimento dos tributos e assegura a regularidade da empresa com a Receita Federal e outros órgãos fiscalizadores.

As notas fiscais representam um acervo rico de informações que são fundamentais para o controle interno da empresa. A utilidade delas vai muito além de manter a organização na legalidade, pois contribuem para uma visão privilegiada de tudo o que acontece na rotina financeira da companhia por parte dos responsáveis.

Outra vantagem de manter os processos fiscais em ordem é ter uma margem de lucro maior por meio do recolhimento correto dos impostos. Lembre-se de que o contador é responsável por orientar sobre o melhor caminho a seguir, de acordo com o nicho do negócio.

Importância na melhoria da gestão

A gestão fiscal também pode ter um papel decisivo do ponto de vista administrativo do seu negócio. Com ela você consegue lidar melhor com os documentos que fazem parte do dia a dia, como as já citadas notas fiscais, que passam a ser mais bem organizadas.

Esse tipo de documento pode ser entendido como uma verdadeira fonte de informações a respeito da atividade exercida pela companhia, sendo especialmente importantes na realização de controles internos.

É preciso garantir a boa gestão das notas fiscais, sejam elas no tradicional formato em papel ou na sua versão eletrônica, pois com elas você tem as informações necessárias para organizar de maneira mais detalhada o seu fluxo de receitas e despesas.

Nomes de clientes, de fornecedores, datas, especificações sobre a natureza da movimentação, entre outros dados relevantes estão disponíveis no documento, portanto, saber lidar com ele é de fundamental importância do ponto de vista da organização da empresa.

Coletando e armazenando os dados, é possível ter uma visão privilegiada a respeito do que ocorre diariamente e ainda saber a respeito dos impactos dos gastos na companhia.

Economia de tributos

Um benefício de uma boa gestão fiscal é de garantir que nenhum centavo dos cofres da sua empresa sairá de maneira equivocada em termos de pagamento de tributos. Isso tem a ver, especialmente, com o enquadramento tributário.

Se a sua empresa atende a todos os requisitos exigidos pelo Simples Nacional, por exemplo, considerando faturamento e tipo de atividade, não há motivo para optar por outro regime. Ainda que para se chegar ao enquadramento ideal seja preciso fazer uma série de cálculos e comparações, considerando cada modalidade existente, esse é o caminho seguro para aliviar os gastos da gestão.

Para diminuir a carga tributária, o primeiro passo é definir o enquadramento correto. Assim, você segue cumprindo com as suas obrigações, mas faz uso das possibilidades que a lei oferece para evitar despesas maiores.

Aspectos legais

Com uma boa gestão fiscal a empresa consegue manter as suas atividades em conformidade com a legislação. Assim, todos os procedimentos obrigatórios são respeitados e os diferentes tributos são pagos dentro do prazo estipulado, sem desperdícios.

Esse é o caminho para se livrar de penalizações como as multas que tanto mal fazem para as empresas brasileiras. Complicações tributárias precisam ser evitadas e, para tanto, entender a gestão fiscal como uma espécie de escudo para o seu negócio se torna uma ação estratégica, visando atender os interesses da empresa.

Dicas para uma gestão fiscal eficiente

Registre os números da sua empresa

Quanto mais informações você tiver sobre a movimentação do seu negócio melhor será a eficiência do controle financeiro. Portanto, dedique-se com afinco nesse levantamento para que os seus objetivos sejam alcançados.

Faça um acompanhamento diário dos processos

Você pode delegar inúmeras tarefas a seus colaboradores, mas reserve um tempo para acompanhar pessoalmente o andamento das questões tributárias. Isso vai lhe ajudar na tomada de decisões da empresa.

Projete o fluxo de caixa por períodos

Faça uma projeção do fluxo de caixa para, no mínimo, três meses. Evite a previsão de números exagerados: seja realista. Leve em consideração a carteira de clientes, a sazonalidade do mercado e as perspectivas futuras.

Avalie os relatórios financeiros

Avaliar os resultados por meio de relatórios financeiros possibilita um retrato mais fiel do contexto em que a empresa está inserida. Isso também facilita o planejamento e a previsão do orçamento para os anos seguintes.

Utilize os recursos da tecnologia

Hoje, existem recursos capazes de dar uma visão mais abrangente do cenário contábil e financeiro da empresa. Inclusive, alguns oferecem serviço personalizado de acordo com a necessidade da empresa e soluções de TI integradas ao ERP – Enterprise Resource Planning.

Automatizando os processos operacionais, o seu setor fiscal ganha em organização. Procure investir nessa solução e automatizar o que for possível, sem deixar de dar ao funcionário o devido preparo para lidar com a tecnologia.

A automatização permite à empresa acompanhar melhor os prazos e, assim, evitar penalizações por conta de atrasos e erros.

Faça auditorias

Diante de uma alteração legal, é possível que a sua empresa se perca em relação a obrigações e alíquotas. Nesse caso, garanta que a organização se mantenha em dia com as exigências. Contrate uma empresa de auditoria externa para verificar eventuais falhas nos processos e sistemas. Caso precise de uma orientação em relação ao caminho a ser seguido, escolha uma consultoria.

Faça um planejamento fiscal

O planejamento é sempre recomendado em qualquer tipo de atividade. Ainda mais em relação a empresas. Você pode pensar no futuro, considerando os encargos fiscais e criar reservas para lidar com problemas naturais da atividade.

Toda empresa está sujeita a riscos. Falhas internas, por exemplo, podem fazer com que o cumprimento de uma obrigação não seja feito da maneira ideal. Sendo assim, quando você se planeja bem pode enfrentar melhor as adversidades e impedir que elas se transformem em um empecilho para o seu crescimento.

Utilize benefícios e créditos fiscais

Um bom planejamento tributário considera oportunidades legais para gerar benefícios para a empresa. Entre eles estão os chamados benefícios tributários, como utilizar créditos fiscais ou criar filiais em outros municípios.

Você pode ter isenção e redução de taxas, amortizações, entre outras vantagens para a sua empresa, que podem fazer com que seus gastos sejam consideravelmente reduzidos.

Enquanto algumas empresas gastam mais do que precisam, é interessante saber que existem situações em que você pode, além de não gastar além do necessário, também economizar atuando dentro da lei.

Desde o primeiro momento em que a empresa é aberta, é importante fazer uma gestão fiscal focada em resultados. Para isso, o ideal é buscar soluções inovadoras para minimizar desperdícios, gerar lucro e aumentar a competitividade no mercado.

Gostou de saber mais sobre gestão fiscal? Compartilhe o texto nas redes sociais para que seus amigos também tenham acesso a essas informações.