Atualmente, investir em um plano de mobilidade corporativa se tornou necessidade absoluta para qualquer organização que deseja atingir e manter o sucesso empresarial.

A mobilidade está transformando nossas vidas e negócios, influenciando a maneira pela qual compramos, nos entretemos, viajamos, aprendemos, tomamos decisões, trabalhamos, interagimos com nossos clientes e funcionários etc.

Afinal, integramos um mundo no qual, em 1991, havia apenas 500 milhões de linhas telefônicas e que atualmente já possui mais celulares ativos do que pessoas.

À medida que bilhões de sensores e dispositivos se conectam de forma inovadora à Internet das Coisas (IoT, na sigla inglesa), podemos acessar todo tipo de produtos e serviços inteligentes por meio da tecnologia e aplicativos móveis.

Com isso em mente, ao longo deste artigo, abordaremos dicas para iniciar a criação de um se plano de mobilidade corporativa para sua empresa, e como essa estratégia pode impulsionar seu negócio de diferentes formas. Boa leitura!

Defina os objetivos estratégicos da empresa

Muitas organizações se apressam na implementação da mobilidade corporativa sem delinear satisfatoriamente quais são os resultados comerciais desejados.

Elas habilitam, por exemplo, a utilização de iPads sem certificarem-se de compreender o que a empresa está tentando alcançar com o uso de tablets e outras tecnologias móveis.

Sendo assim, para desenvolver uma estratégia de mobilidade corporativa, é essencial considerar as seguintes questões:

  • como seus funcionários e clientes se relacionam com seu negócio e consomem seus principais produtos e serviços?
  • A capacidade de se envolver com sua empresa por meio da mobilidade gera novas oportunidades para o seu negócio e, em caso afirmativo, como é possível capitalizar essas oportunidades?
  • Novos aplicativos ou interfaces precisarão ser desenvolvidos?
  • Os processos devem ser reestruturados ou a infraestrutura existente necessitará de atualizações e melhor gerenciamento para oferecer uma experiência adequada a seus funcionários e clientes?

Escolha a abordagem certa para a sua equipe

A despeito de existirem inúmeras soluções disponíveis no mercado, para atender as necessidades de sua empresa pode ser necessário desenvolver (ou contratar uma empresa que o faça) o seu próprio aplicativo.

O desenvolvimento de aplicativos para celular é diferente de construir uma aplicação tradicional. Existem duas abordagens básicas para construir um aplicativo móvel:

  • criar um website móvel, que é essencialmente um site, aprimorado para funcionar bem na pequena tela de um smartphone, podendo ser acessado a qualquer momento pelo browser do dispositivo móvel;
  • desenvolver um aplicativo móvel nativo, no qual um software personalizado é criado para um tipo específico de dispositivo, de modo que o usuário deve baixar e instalar no celular para poder usá-lo.

Ambas as abordagens apresentam vantagens e desvantagens e, se a sua empresa optar por uma dessas soluções, deve escolher aquela que melhor se adequa às suas características gerais e às particularidades de suas equipes profissionais.

Mantenha o foco no gerenciamento de informações

Os dados estão no cerne de qualquer plano de mobilidade corporativa. É preciso entender o que acontece com os dados que estão sendo usados nos dispositivos móveis:

  • quais informações os seus colaboradores necessitam acessar?
  • O que eles vão fazer com esses dados?
  • Será preciso realizar alguma alteração significativa neles para que possam ser utilizados satisfatoriamente?
  • Como a empresa garantirá o acesso às informações, mesmo em locais onde a conectividade é irregular?
  • Os funcionários poderão armazenar informações relevantes para o negócio em cache?
  • Como você protegerá esses dados enquanto estiverem em trânsito pela rede ou armazenados em dispositivos que estão fora de seus firewalls?

Muitas empresas se concentram apenas no gerenciamento de dispositivos, aplicativos e conteúdos. Contudo, o motivo para se preocupar com todas essas coisas é garantir que os colaboradores tenham acesso aos dados necessários sem, para isso, comprometer a segurança, expondo informações sigilosas.

Nesse sentido, uma das maiores prioridades é pensar sobre a portabilidade segura e eficiente de conteúdo (ou dados) em qualquer contexto, como localização ou características de rede.

Invista em estratégias de segurança

Parte integrante de garantir que apenas pessoas autorizadas acessem as informações da empresa, consiste em determinar a identidade do usuário e reforçar medidas de segurança.

Há organizações que consideram que a segurança móvel deve estar focada no dispositivo ou no aplicativo em si, mas é altamente recomendável que você adote uma perspectiva mais holística.

Ao implementar novos serviços orientados a dispositivos móveis, você deve garantir a integração segura entre todas as transações que acontecerem entre o usuário e os servidores, incluindo tanto as etapas inicias (front-end) quanto finais (back-end) de cada processo.

Sem medidas abrangentes de segurança, você correrá o risco de comprometer os seus serviços, expondo a organização a muitas ameaças diferentes, tais como as injeções de SQL (uma forma de ataque no qual as declarações de consulta de dados SQL maliciosos são inseridas em um campo de entrada, de modo a explorar os pontos fracos em um aplicativo).

Para evitar ataques dessa natureza, você pode aproveitar os diferentes tipos de soluções de segurança disponíveis, ao invés de construir uma por si mesmo.

Lembre-se que os processos de desenvolvimento de softwares podem ser a fonte de vulnerabilidades, portanto, considere adotar metodologias diversas, focadas em melhorar o processo de desenvolvimento e em reduzir erros resultantes de abordagens inconsistentes e não padronizadas.

Além disso, revise padrões como Oauth 2.0 ou OpenID Connect e outros que você adota atualmente. Essa ação simples é suficiente para padronizar as políticas de segurança que você deve incorporar ao seu plano de mobilidade corporativa.

Elimine os silos de mobilidade

Embora a BYOD (sigla de Bring Your Own Device, ou “traga seu próprio dispositivo, em tradução livre) seja uma tendência amplamente adotada em grandes organizações, muito menos empresas têm implementado uma estratégia consistente de mobilidade corporativa.

Quando não há um planejamento coerente, sua implantação tende a se tornar fragmentada e imprecisa, com cada departamento executando sua própria estratégia.

Sem a combinação entre uma visão empresarial de alto nível e a realização de iniciativas adequadas para apoiá-la, o plano de mobilidade corporativa passa a ser suportado por uma série de pontos redundantes, soluções isoladas (que podem ser bastante dispendiosas), maior vulnerabilidade a riscos externos e subaproveitamento das potencialidades inerentes à empresa.

Gostou do nosso artigo? Então, siga-nos nas redes sociais e se mantenha sempre atualizado! Estamos no YouTubeTwitterFacebook e LinkedIn!